sábado, 14 de outubro de 2017

2017 adventure | Bratislava ♥




E chegámos à última parte: Bratislava!

A Eslováquia é um dos vários países que fazem fronteira com a Hungria e Bratislava fica a, mais ou menos, 2h de carro. Muito perto, portanto. Apesar da proximidade, é uma cidade bem diferente de Budapeste mas muito carismática também.

O castelo, que vemos na primeira fotografia, não se assemelha a nenhum outro da minha "coleção" (tem uma história bem forte também) e eu gostei muito de o conhecer e de passear um belo bocado pelos seus jardins. A vista sobre o rio Danúbio também é espetacular.

As ruas da cidade deslumbraram-me pois não estava à espera de encontrar este tipo de arquitetura que me fez lembrar o meu livro preferido desde sempre: João Sem Medo. As ilustrações são muito parecidas às ruas de Bratislava e dei por mim a pensar que tudo na nossa vida está correlacionado. De facto, tudo tem um sentido se deixarmos a nossa vida fluir e formos sempre fieis a nós próprios :)

O Slovak Pub foi um grande, grande achado. À semelhança do Johnnie Foxs Pub na República da Irlanda, este pub tinha imensas salas, todas elas cheias de personalidade e o feeling medieval que eu tanto gosto. É o maior pub da Eslováquia e também o mais popular entre os locais. Não vimos turistas para além de nós, até porque o pub se situa numa rua muito discreta (preparar as viagens com amor e atenção antecipadamente dá direito a estas joias =D).
Provei várias iguarias tradicionais como o Slovak Platter for 2 que é composto por dumplings (que já conhecia da República Checa) com queijo de ovelha, uma espécie de massa com umas especiarias típicas e uma mistura de batata com couve. E comi também a tradicional sopa de alho num pão típico. Tudo era espetacular! Ah, e a cerveja era feita no local. Melhor? Impossível...
Fui também ao Stur Café provar um bolo de sementes de papoila pelo que eles usam estas sementes em muitos pratos doces. Aprovado que eu também os faço e pensava que era a única!

A moeda é o euro e é um país bem barato também, à semelhança da Hungria. A língua é outra para esquecer pois não dá para perceber nada :) Bem tentei aprender umas palavras mas o inglês é que safa a coisa, obviamente.

Resumindo, estas férias duraram uma semana e foram tantas as experiências que cresci e aprendi muito. Quero muito voltar a ser feliz em Bratislava e em Budapeste :)

Daqui a menos de uma semana há mais uma viagem com mais 2 castelos novos para descobrir! =D Novidades em breve!




























quinta-feira, 28 de setembro de 2017

2017 adventure | Budapest II ♥





Então vamos lá à 2ª parte desta viagem!
Seguindo as fotografias, dei um enorme passeio pela Margaret Island (enorme mesmo porque a ilha tem quase 3km de comprimento) e aproveitei cada parque, cada flor e cada paisagem. No verão, acontecem aqui muitos concertos ao vivo e ao ar livre. Confesso que tive uma pontinha de inveja!
Nestas fotografias vemos também St. Stephen's Basilica, um local de culto lindíssimo. Lá está o maior tesouro da Hungria, a mão mumificada do 1º Rei e agora padroeiro protetor do país :)
Recebi uma rosa em forma de gelado e bem, adorei tanto que não era capaz de a comer! Gelarto Rosa é o nome da geladaria e vale bem a pena vê-los a fazer cada rosa à mão. Quanto a comidas, um dos pratos tradicionais é uma espécie de massa de batata (nhoque, penso eu que assim se escreva) e as carnes sempre acompanhadas de molho paprika (doce ou picante). Fui muitas vezes a um restaurante onde só serviam peixe, Halkakas, e era divinal. O peixe em Budapeste normalmente não se caracteriza por ser fresco e este é um dos sítios de confiança para se optar pelo peixe (em hambúrguer, no prato, panado, grelhado, etc). O ambiente era espetacular e a malta já oferecia uns belos shots de Palinka, a bebida tradicional húngara que chega aos 60% de volume de álcool. Mata qualquer um! Trouxe umas garrafinhas e também uma garrafa grande de Unicum para, mais tarde, fazer um candeeiro :) 
Claro está, não pude deixar visitar mais um Hard Rock Café e comprar mais um copo para a minha coleção que está a ficar grande demais (e ainda bem!).

Nem tudo tem de ser alegre e, a par do Terror Museum onde estive dentro de salas de tortura e executamento no regime Nazi (e onde me esforcei para não chorar), não deixei de visitar a 2ª maior sinagoga do mundo: Budapest Great Synagogue. Lá foram mortos centenas e centenas de judeus e o próprio ambiente é pesado e de puro silêncio. Existem imensas homenagens como, por exemplo, uma enorme árvore feita de metal em que cada folha tem o nome de alguém que não sobreviveu à guerra. Novamente refiro que a cidade ainda se encontra a recuperar desta guerra horrível (a Liberty Bridge que também coloquei aqui foi totalmente destruída pelo que esta é apenas uma reprodução fiel à verdadeira) e ainda bem que nós, em Portugal, não tivemos de passar por nada disto :( 

Passando para coisas mais alegres, o mercado municipal é lindo e local, cheio de coisas boas e cheirosas. O que mais gostei de conhecer foi o Hungarian Parlament que é estrondoso por fora e por dentro. É bonito demais, não dá para explicar. Só vendo com os próprios olhos. É gigantesco e tem enormes salas! Em uma delas está guardada o tesouro real onde, de 15 em 15 minutos, os dois guardas que lá se encontram, fazem uma espécie de ritual protocolar e circulam à volta do tesouro com as suas armas. Essa mesma sala tem uma altura enorme e contém estátuas de todos os reis da Hungria. Não é permitido tirar fotografias.

A língua é dificílima e não se compreende nada de nada! A moeda é o florim, bem fraco em relação ao euro. É então uma cidade bem barata para viajar. Tive oportunidade de voltar a rever o meu amigo Pedro, amigo de licenciatura, que já não via há imenso tempo! O Pedro é produtor televisivo em Budapeste há aproximadamente 1 ano e de lá não quer sair :) Já tinha imensas saudades e foi tão bom recordar momentos passados no jantar que preparou na sua casa. Não há palavras para descrever o sentimento de saber que ele está bem!

Mais... Hummm... Ah! Visitei mais um banho termal, desta vez no Gellert Hotel&Spa. Com uma decoração de perder a respiração, não desiludiu em nada. Relaxei tanto que até consegui descansar em águas a 40 graus :)

Budapeste é uma cidade maravilhosa, de facto. À noite, consegue ficar ainda mais bonita com todas as luzes que iluminam todos os edifícios históricos, que são muitos.
Gostei tanto que me custou abdicar de tempo para ir a Bratislava, na Eslováquia. Mas valeu muito a pena, esperem para ver porquê :)






























































Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...